Bem vindos!

...............
Mensagens

                      
 Soneto.
Não pode Amor por mais que as falas mude
exprimir quanto pesa ou quanto mede.
Se acaso a comoção concede
é tão mesquinho o tom que o desilude.
Busca no rosto a cor que mais o ajude,
magoado parecer os olhos pede,
pois quando a fala a tudo o mais excede
não pode ser Amor com tal virtude.
Também eu das palavras me arredeio,
também sofro do mal sem saber onde
busque a expressão maior do meu anseio.
E acaso perde, o Amor que a fala esconde,
em verdade, em beleza, em doce enleio?
Olha bem os meus olhos
responde.
*AntónioGedeão
..............................................................................................................................


 Tempos em tempos, de temporais
de ventos bravos
arrasantes
de memorias retrocida
de lembranças esquecidas 
de valores desvalorizados
é passado
Mexer em gavetas
vasculhar entulhos
limpar o sotão
ver o que de bom ficou
e aparar as arestas que restou.

 Fui buscar-te no breve passado
 nada encontrei...
desejei vê-lo nas gavetas...
olhei no relogio do tempo
havia passado.
Onde ficou o sonho amado?
Vivo num passado vivido 
e só por mim lembrado.

Será o amor um cometa que só alguns viajam em sua luz?
Valquiria

.

5 comentários:

Lídia Borges disse...

Bonito!

António Gedeão e a sua ciência em perfeita convivência com as letras.

Um beijo

Maria disse...

Sábias e belas palavras.
Bom final de semana
bjs

Alvaro Oliveira disse...

Olá Amiga Valquiria

Lindissimo este soneto.tem força, sentimento e sensibilidade.

Bom fim de semana

Beijos

Alvaro

quicas disse...

Gedeão, como ele sabe e sente, na magia das palavras!
Bela expressão da linguagem do Amor, por muito que esconda diante do olhar!
Beijo e bom fim-de-semana!

ღPat.ღ disse...

Mama,
Recebi teu email e mais à noite irei responder.
Sempre nós. Lindo post amada.
Beijos da filhota e excelente domingo.